domingo, 1 de janeiro de 2012

I hope

A grande questão a respeito de escrever algo sobre 2011, para mim, é que não foi um ano bom. Na verdade, foi, sob muitos aspectos, o pior que já estive muito tempo. Escrevi pouco no ano que se passou, tive muito medo, e me senti muito, muito mal. Mas uma coisa interessante sobre passagens de ano, a meu ver, é a esperança meio inútil e sem base concreta que elas trazem, com a idéia de que, esse ano, as coisas serão diferentes.

E o lado bom dessa idéia é que ela muitas vezes traz o estímulo necessário para que de fato seja possível melhorar as merdas do ano que se passou.

Esse ano não cheguei a ver "Um Sonho de Liberdade", foi no ano passado. Mas vou pegar emprestado o final do filme e do livro, que sempre gostei muito, para explicar a minha situação aqui. No final de 2009, para 2010, fiz convicções e promessas. Agora, no início de 2012, eu espero.

Espero que a minha confiança e minha escrita retomem o caminho progressivo que tinham antes - e, se tomarem um diferenciado, que este também vá para a frente.

Espero que, quando a dor e o medo inevitavelmente chegarem, eles não durem muito.

Espero que o terceiro ano não seja tão apavorante como me parece.

Espero que as pessoas me decepcionem menos, e, se o fizerem, que eu perceba e supere antes de muito tempo.

Espero que eu me surpreenda comigo mesma - positivamente.

Espero que o post que eu faça no final de 2012 seja uma reflexão boa, com memórias poéticas e bonitas.

Espero que seja bonito.

Espero que o túnel cheio de lama e ratos pelo qual me arrastei durante a maior parte desse ano resulte, afinal, numa chuva tão forte que traz uma sensação tão deliciosa para o seu corpo e a sua alma como a que a visão de um pôster da Rita Hayworth prometeria, para quem tivesse uma imaginação fértil.

E vocês sabem que eu tenho.

2 comentários:

  1. Anos depois e o final desse filme/livro ainda me deixa arrepiada, assim como qualquer menção à eles.

    ResponderExcluir
  2. disso tudo posso te dizer que terceiro ano é, em geral, muito superestimado e pouco diferente dos outros anos. pra mim, pelo menos, foi o ano que passei 2/3 das aulas dormindo.

    de resto, tô esperando tudo isso pra você também <3

    ResponderExcluir